Noticias - Jornal Agito Ubatuba

Um novo conceito em jornal

Cidade: Ubatuba
Publicado em 20/02/2017

Compartilhar

EM Marina Salete começa as aulas após reforma parcial


Medida foi tomada para garantir a segurança de alunos e professores

 

Alunos, pais e professores compareceram à Escola Municipal Marina Salete Nepomuceno do Amaral, localizada no Pereque Açu, na manhã desta segunda-feira, 20 de fevereiro, para celebrar a volta às aulas na unidade.

Com a presença do Prefeito Délcio Sato (PSD) e o vice-Prefeito Jurandir de Oliveira Veloso – Pelé, além de outros representantes da Prefeitura, foi realizada uma pequena cerimônia para dar as boas-vindas à comunidade.

Na ocasião, o prefeito destacou que seria irresponsabilidade do Executivo iniciar as aulas na condição em que a escola se encontrava e agradeceu a paciência e compreensão de todos. “A equipe de obras, a própria direção da escola e os professores se empenharam de uma forma que realmente viesse a atender cada um de vocês”, declarou.

Sato complementou, dizendo que o cenário atual do município é o de dificuldades e que o déficit dos cofres públicos chega a R$ 18 milhões, o que dificulta algumas medidas. “Pedimos a paciência de vocês por conta dessa defasagem e das coisas que precisamos cumprir no dia- a –dia mas, mesmo assim, estamos incansavelmente em busca de recursos e alternativas para oferecer o melhor. Se continuarmos assim e tivermos a participação de vocês, vamos melhorar muito”, garantiu o prefeito.

Mãe de dois alunos da unidade e integrante da Associação de Pais e Mestres (APM), Thais Hermínia comemorou a iniciativa da Prefeitura, pois acompanhou todo o processo ocorrido no local. “Tenho acompanhado o trabalho dos meninos e vi que eles se empenharam para que as aulas pudessem começar no dia de hoje. Para a gente, demorou, mas só que agora nossos filhos estarão em segurança. Não penso só no bem estar dos meus filhos, mas de um todo. E além do bem estar do aluno, o professor também tem que estar confortável para poder trabalhar. Eu tenho orgulho que os meus filhos façam parte dessa escola”, afirmou.

Flaviane Batista Duarte também é mãe de aluna e aprovou as medidas adotadas pela Administração. “Na reunião que tivemos no dia 6, parabenizei o secretário de Infraestrutura e agradeci, porque o que não foi feito em seis meses foi feito nesse período. Independente se tiver aula aos sábados ou não, para mim foi um prazer trazer minha filha agora com a escola em segurança”, salientou.

A diretora da unidade, Maria Luiza Gil Motta, disse que está muito satisfeita com o resultado da “força tarefa” realizada pela Prefeitura, com o apoio da construtora, em duas semanas. “Foi possível deixar a escola com segurança para os professores, para os pais e alunos. A unidade está pronta para começar o ano na data prevista e cumprir com o nosso dever”, alegrou-se.

 

Histórico

Em julho de 2016, por um incidente de interferência de obra, o prédio da escola sofreu vários danos em sua estrutura, paredes e piso. Os pais acionaram o Ministério Público devido aos riscos de possível desabamento do prédio e, por isso, foi aberto um processo investigatório para apurar as causas e danos e solicitado à Prefeitura que fizesse os reparos e obras em caráter de urgência.

A escola estava sem condições para receber os alunos para o ano letivo de 2017 e então, no início de janeiro, os técnicos da secretaria de Serviços de Infraestrutura Pública fizeram a perícia e constataram que o prédio havia sofrido um colapso devido ao rebaixamento do lençol freático agravado pela concepção da estrutura frágil da construção.

Após reuniões, a Prefeitura conseguiu uma parceria com a construtora responsável pelo incidente, que assumiu parcialmente a reforma e, de outro lado, as secretarias de Infraestrutura e Educação fariam as obras complementares.

 

“Em 23 de janeiro, com as frentes de serviços definidas, iniciaram-se as obras com jornadas estendidas envolvendo próximo de 30 profissionais, e o que parecia impossível foi realizado plenamente e as obras concluídas no dia 18 de fevereiro. A escola recebeu todos os reforços nas estrutura, reparos e pintura em todas as paredes e muros, tratamento nas trincas, limpeza e capina geral, recuperação da fossa e revisão nos sanitários, reconstituição e substituição de pisos danificados, o que garantiu a volta às aulas com segurança, mais saudável e mais bonito”, explicou o secretário de Infraestrutura Pedro Tuzino.

Voltar