Noticias - Jornal Agito Ubatuba

Um novo conceito em jornal

Cidade: Ubatuba
Publicado em 13/11/2015

O que lhe venderam e você comprou ?


Durante anos, a população foi convencida de que os complexos problemas do Brasil eram fáceis de resolver, por pessoas de bom coração e vontade. Dentro dessa lógica simplista, se continuam havendo pobres, se o salário mínimo não aumenta, se a saúde não vai bem, se a educação não educa ninguém, tudo isso é causado por maldade dos políticos que roubam todo o dinheiro do governo ou não têm vontade de melhorar a vida das pessoas.
Estas mensagens são enviadas para públicos distintos: adultos e crianças. Os adultos entendem melhor o que é corrupção, que é dinheiro público tomado por terceiros. Então, criaram um estigma de que o volume desse desvio é tamanho que se fosse contido, seria possível para o governo atender a todas as necessidades da população.
Claro que a corrupção deve ser combatida, mas segundo dados do economista Raul Velloso, 75% do dinheiro do tesouro vai para a “grande folha” – funcionários federais, pensionistas do INSS e programas sociais. Esse é tamanho do Estado que não presta nenhum serviço decente à população e ainda pode gerar um déficit de R$ 100 bilhões este ano. Ou seja, a arrecadação não cobre os gastos excessivos.
Já para as crianças, vendem a utopia de um mundo melhor com todos recebendo suas casas, remédios, comida, salários mínimos altos, e tudo mais que precisarem. Como se não bastasse, ainda são expostas ao proselitismo populista, ministrado por professores que beberam nesta fonte utópica, que transforma em vilões aqueles que não atendem a essas demandas básicas do povo.
Como já disse, basta parecer bom e honesto para receber o voto da população. O que vimos nas últimas campanhas foi quem iria “dar” mais dinheiro, mais casas, mais empregos, enfim iria dar tudo. Não foi só isso, também se ouvia quem vai “investir” mais em educação, saúde, estradas, construir isso e aquilo, não deixar de fazer nada.
Alguém perguntou de onde sairia tanto dinheiro? Ninguém falou como fazer o Brasil crescer de verdade e não apoiado na China ou na expansão indiscriminada do crédito. Quem pode trazer esse desenvolvimento são os líderes bem preparados, não os marqueteiros de campanha. Infelizmente a população compra o que lhe vendem e não o que de fato precisam.

 

Por: Adriano Correa 

Voltar